tecnologia

Aplicativos para smartphone: Quais não podem faltar no seu iPhone ou Android.

Hoje com milhares de aplicativos, a App Store e a Android Market deixam seus usuários à vontade para escolherem quais programas mais lhes agradam e, ao mesmo tempo, cheios de dúvidas. Para ajudar em meio a tantas opções, selecionamos alguns programas úteis e gratuitos.

 

TripAdvisor

Através do aplicativo TripAdvisor, o usuário pode buscar hotéis, restaurantes e atrações no local escolhido ou próximo de onde estiver no momento. O programa, referência em avaliação colaborativa, traz opiniões de viajantes que conhecem os serviços oferecidos e ainda permite que comentários em outros idiomas sejam traduzidos para o português automaticamente. O software agrega opções de várias cidades do mundo e organiza os resultados por classificação dada pelos usuários ou preço.

Foursquare

O Foursquare é um aplicativo baseado em geolocalização que permite ao usuário dar check-in em determinados lugares. O sistema identifica amigos da rede que estejam próximos e pontua cada usuário de acordo com a periodicidade de seus updates – os mais “presentes” ganham o título de prefeito. O programa é ideal para quem busca dicas de entretenimento, restaurantes, lojas e clubes noturnos a partir da opinião de quem já conhece os lugares.

Kindle

Kindle é um leitor de livros baixados na internet para iPhone e Android. Pelo aplicativo, o usuário pode acessar sua biblioteca e ler os livros que estão armazenados em sua conta. Também é possível fazer compras on-line por meio da opção Kindle Store. Entre os recursos de leitura, o software oferece opções de tamanho de fonte, armazenamento de páginas e um botão “Ir para”, que permite ao leitor navegar pelo sumário do livro, pela capa ou por um capítulo específico.

Instagram

O Instagram funciona como editor de foto, mas ganhou fama na internet graças aos seus filtros de efeito retrô. Além de dar um visual antigo às fotografias, o programa permite aos usuários compartilhar as imagens no Twitter ou Facebook. O site onde são hospedadas as fotos funciona como uma rede social e permite adicionar amigos. O Instagram, tem atualmente mais de 3,5 milhões de usuários.

Skype

Todos conhecem esse serviço, que permite ao usuário fazer ligações internacionais a baixo custo. A ligação de skype para skype é gratuita e também permite fazer uma videoconferência. Os usuários podem se comunicaratravés de um chat do próprio software. Todos esses serviços podem ser acessados através de uma conexão Wi-Fi ou 3G.

Whatsapp

É um programa de mensagens instantâneas em que o usuário pode falar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo.  Permite também que os usuários troquem fotos entre si. O aplicativo identifica por meio do celular dos contatos quem também tem o WhatsApp instalado.

As Smart TVs e o surgimento de comerciais interativos

Sabe quando seus pais pensavam que seria impossível interagir com um aparelho de televisão? Pois é, eles estavam errados, é possível e já existe muita coisa nova por aí!

Com a chegada e o progresso das Smart TVs nos lares, já estão repensando em novos modelos de propaganda para esses aparelhos.

Muitas pessoas não se prendem aos comerciais e os encaram como uma “perda de tempo”, mas esse mercado já está sofrendo modificações. Com as Smart TVs provavelmente teremos uma “evolução” na forma de se fazer propaganda. Através da interação do telespectador, as campanhas publicitárias darão maior direcionamento para as lojas virtuais, que permitirão que o cliente assista uma propaganda de TV e efetue a compra no mesmo instante pelo controle remoto. A TV passará a ser forte aliada dos sites de e-commerce.

As agências, por consequência sofrerão algumas alterações, sendo inevitável uma mudança da remuneração e perfil dos veículos. Afinal, estamos caminhando para a ‘internetização’ da TV, o mais poderoso meio de comunicação de massa. Por isso, será preciso quebrar a barreira existente hoje entre on-line e off-line, fazendo com que a publicidade on-line não se torne apenas uma escolha, e sim uma necessidade.

Tron: O Legado e a Tron Night – Reflexões e Primeiras Impressões

Bom, antes da leitura devo dizer que este post contém alguns spoilers que estão sendo indicados antes dos parágrafos para evitar confusão, portanto podem lê-lo à vontade sem medo de revelações sobre o enredo.

Ontem, dia 18 de novembro, ocorreu a Tron Night aqui no Brasil, em diferentes cidades, nos cinemas da rede Cinemark.

Nesse evento foram mostrados ao público 20 minutos de diferentes trechos do filme Tron: O Legado (Tron Legacy), da Disney, antes de sua estreia, que será dia 17 de dezembro deste ano. Para quem não conhece o filme, eu darei algumas explicações sobre ele.

Sua origem:

Poster do Tron de 1982

Ele é a continuação do filme Tron: Uma Odisseia Eletrônica (Tron), lançado em 1982, também produzido pela Disney e dirigido por Steven Lisberger. Para a época em que foi lançado, sua tecnologia era inovadora e revolucionou o mercado cinematográfico. O longa foi um dos primeiros filmes a empregar a computação gráfica em 3D em quase toda a sua produção.

Importante: abaixo há revelações sobre o primeiro filme. Caso não queira ler, pule os próximos parágrafos.

A história fala sobre Kevin Flynn (Jeff Bridges), um engenheiro de Softwares que trabalha para uma corporação chamada ENCOM. Seu sonho é abrir sua própria companhia e para isso ele fica horas projetando videogames. No entanto, seus projetos são roubados por um colega de trabalho chamado Ed Dilliger (David Warner), que os utiliza na empresa, ganhando diversos méritos e promoções e levando Flynn a ser demitido.

Para provar a culpa de seu colega, Kevin resolve invadir o sistema da empresa e pegar dados importantes, mas quando é detectado pelo computador, um aparelho desenvolvido pela ENCOM acaba o digitalizado para o mundo virtual, onde ocorre grande parte da aventura.

É importante para a compreensão do Tron: O Legado assistir ao primeiro filme, pois ele ocorre antes da história do novo filme. Abaixo está o trailer para quem se interessar:

Sobre o filme Tron – O Legado:

Como dito anteriormente, o filme do diretor Joseph Kosinski trará a continuação da história abordada no filme anterior e falará sobre o filho de Kevin Flynn, Sam Flynn (Garrett Hedlund), que acaba se aventurando nesse mundo virtual por causa de seu pai.

Para quem não viu o trailer e quer ter uma ideia de como é o filme, veja abaixo:

Impressão que ele passa:

Poster do Tron: O Legado (2010)

Apesar dos poucos minutos de filme exibidos na Tron Night, foi possível notar muitas características importantes.

Enredo (ATENÇÃO, ESSE TÓPICO CONTÉM SPOILERS, OU SEJA, REVELAÇÕES SOBRE A HISTÓRIA):

Pelas cenas que foram exibidas, foi possível notar que parte do que será demonstrado no filme acontecerá entorno da briga entre filho (Sam Flynn) e pai (Kevin Flynn), por ter sido abandonado quando pequeno. Após anos, um dos responsáveis pelos projetos de seu pai (Alan Bradley), conhecido de Sam, retorna a sua casa dizendo que recebeu uma mensagem de Kevin e que ele deveria investigar. Sam não acredita que seu pai estaria de volta depois de tanto tempo longe, e resolve investigar. Ao iniciar sua busca ele retorna ao Arcade, local onde se passou a história do primeiro filme, e acaba sendo digitalizado por engano para a GRID (mundo virtual em que ocorre a história) após descobrir o computador.

Lá ele acaba sendo capturado e adquire seu disco de memória e sua roupa, e acaba percebendo a hostilidade daquele lugar.

Após algumas cenas que não foram exibidas, ele é salvo por Quorra, aprendiz de seu pai, aparentemente treinada nas habilidades como jogadora e sobre o mundo que ela vive. Que o leva para seu pai que há anos estava preso àquele lugar e ele não sabia.

O que ocorre após esse fato não foi exibido, portanto só será revelado na estreia.

Computação Gráfica:

A computação gráfica do filme está impecável. As empresas Digital Domain, Mr. X e Quantum Creation FX, responsáveis pela produção dos efeitos, fizeram um bom trabalho na produção. Os efeitos especiais estão presentes em quase todo o filme, por isso é recomendável, para quem for assistir, ver na tecnologia IMAX 3D. Muitas cenas transmitem a ideia de imersão  dos telespectadores, para levá-los a crer que estão no GRID. Em uma tela de cinema comum 3D, muitos dos efeitos presentes perdem sua força, por não acontecer a prolongação de tela presente no IMAX, cujo principal intuito é trazer ao espectador essa imersão.

Quem não conseguir ver em IMAX deve pelo menos assistir na tecnologia 3D nos cinemas comuns, para obter uma melhor experiência.

Daft Punk participam da trilha sonorora de Tron: O Legado

Trilha Sonora:

A trilha sonora, em sua maioria, é produzida pelos músicos franceses do Daft Punk , Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter, conhecidos por suas músicas eletrônicas.

Sempre vestidos com uma fantasia com aparência de robô (vide foto acima), eles foram uma escolha perfeita, por sempre retratarem a tecnologia em suas músicas.

A trilha contará com 24 faixas dos músicos, dando assim maior ênfase ao mundo eletrônico através de suas composições. As batidas presentes nos trechos assistidos mostram que ela é forte, imponente e demonstra a imensidão que é o GRID.

Abaixo, para quem deseja conferir, há um trailer produzido especialmente para o filme, com a música chamada Derezzed:

Atores:

Entre os atores principais que foram apresentados nos trechos exibidos estão Garrett Hedlund, que interpreta Sam Flynn, Jeff Bridges, presente no primeiro filme e que retorna para interpretar Kevin Flynn 15 anos após o primeiro episódio, e também Olivia Wilde, conhecida na série House M.D.,  e que no filme interpreta a aprendiz de Kevin.

Para quem deseja saber mais sobre os atores do filme, o IMDB possui a relação deles e quais filmes fizeram.

Conceitos abordados:

O filme trás diversos conceitos sobre a virtualidade e a imersão ao mundo tecnológico. Caso for de interesse, eu recomendo a leitura do artigo escrito pelo Pablo Caldas sobre a Realização da Virtualidade, que utiliza o filme como exemplo.

Conclusão

O filme trará nostalgia àqueles que assistiram ao primeiro filme no cinema. Por eu não ter tido essa oportunidade – por não pertencer à geração que observou ao nascimento da tecnologia da computação – me interessei pelo filme tanto por mostrar o conceito de realidade virtual, que em dentro de alguns anos será mais que realidade, quanto pela sua produção cinematográfica, que abriu muitas portas para o desenvolvimento da tecnologia atual, não só no cinema por causa dos efeitos especiais, mas em video-games pelas idéias de utilização do usuário (físico) ao jogo e na própria web através da conectividade entre as pessoas.  Recomendo àqueles que gostam de tecnologia os dois filmes, que apesar da distância de tempo entre si são atemporais, por mostrarem em seus conceitos tópicos ainda discutidos pelos pesquisadores hoje em dia, como exemplo o filósofo Pierre Lévy em seu livro O que é o Virtual? .

Espero que o longa demonstre esse lado também e não apenas se utilize de muitos efeitos especiais para justificar sua história. Aguardo com ansiedade o lançamento desse novo filme e convido vocês a comentarem sobre suas expectativas sobre ele e o que acharam da discussão.

Um bom filme para vocês. Aproveitem!

O que seria de nós sem a tecnologia?

Doses diárias de Eoin Ryan, do site Space Avalanche.

E também no Flickr Full Haus.

Novos números para entender a internet 2.0

A Pingdom é uma empresa gringa de monitoramento da internet que oferece uma ferramenta muito útil para assuntos de mensuração de resultados e acompanhamento da evolução da sua marca no meio online.

Ela lançou um vídeo com resultados de uma análise geral da internet em 2009. Vale muito apena assistir para tentar entender o que é a internet e como ela funciona:

Novos números para entender a internet 2.0

A Pingdom é uma empresa gringa de monitoramento da internet, ele oferece uma ferramenta muito útil para assuntos de mensuração de resultados e acompanhamento da evolução da sua marca no meio online.

Ela lançou um vídeo com resultados de uma análise geral da internet em 2009, vale muito apena assistir para tentar entender o que é a internet e como ela funciona:

E-commerce

Já que estamos a era da internet, vamos falar sobre o comércio eletrônico, que vem crescendo a cada dia.

Dando uma definição, e-commerce é a realização de transações e transferências de fundos eletronicamente, especialmente na Internet, seja para aquisição de bens físicos ou virtuais; transação onde a troca de bens e/ou meios de pagamento é realizada através de um ambiente digital (usualmente a Internet).

A ascensão do comércio eletrônico se deve pelos seguntes fatores: cada vez as pessoas tem menos tempo, então buscam otimizá-lo; os produtos estão cada vez mais comoditizados, além da internet oferecer ampla variação de itens, e a possibilidade de customizá-los, ao contrário do que Henry Ford sobre o Ford T – “O consumidor pode ter o carro da cor que quiser, contanto que seja preto”.

O target mudou, não lidamos mais com mulheres casadas, com idade entre 35 e 45 anos das classes AB, é cada vez mais um convite para os nichos. Uma pessoa gostar de rock não diz muito à seu respeito. Rock pode ser desde alternativo até pop rock; podem ser admiradores do som ou profissionais, como diferenciar esse público?

O e-commerce tem a vantagem de ter a possibilidade de ampliar o mercado; personalizar os serviços; está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e reduz os custos operacionais, porém, ainda apresenta alguma resistência quanto à segurança e privacidade, legislação, ainda uma considerável faixa da população economicamente ativa não está envolvida no meio digital, e principalmente preconceito pelas pessoas que não são da era 2.0.

Continue reading

A velha história do ovo e da galinha

A internet permite uma visão 360 que nunca havia sido imaginada antes. Não é só a “nuvem” que nos deu a possibilidade de uma visão global, mas sim a tecnologia num contexto geral. A possibilidade de construir realidades virtuais já é um tanto antiga como por exemplo, os jogos Age Of The Empires e Sim City, criados bem antes do boom tecnológico. São games onde o jogador controla os “mundos”, quase um Deus.

Confome a internet foi criada, as idéias tiveram a possibilidade de conversar entre si e de convergir, formando uma sinergia.

Os criativos alegam que a tecnologia vem depois da idéia, apenas como ferramenta; no entanto muitas vezes a tecnologia é quem faz novas idéias surgirem. O Google Earth quando surgiu gerou um grande susto em quem o viu pela primeira vez, porém, logo em seguida veio o Google Maps, inovando com diversas ferramentas, criando uma rivalidade com o Uol MapLink.

As informações estão em toda parte e o acesso para ela é livre. A tecnologia já foi inventada. A inovação agora é na combinação forma-conteúdo para buscar um resultado novo e que possa surpreender e inspirar uma nova busca de navegação.

Site da Produtora Musik Haus sai na imprensa

O site da Produtora, criado e desenvolvido pela Full Haus, ganha nova matéria sobre download de ringtones exclusivos. Confira a matéria parcial que saiu no Portal da Propaganda:

Musik Haus explora ringtones como tendência para comunicação
01 de abril de 2009

Visando difundir a marca Musik Haus no mercado de agências e empresas interessadas em novas tecnologias e meios de comunicação segmentada, a Produtora inova ao lançar em seu website uma área dedicada para downloads de ringtones.

A ideia surgiu de uma ‘demo’ para que os usuários interagissem com o site e ganhou corpo com a percepção do potencial a ser explorado na área de comunicação digital tanto no ambiente online como em mídias mobile.

Antenada a tecnologia QR Code, disponível em celulares 3G, que permite baixar o arquivo diretamente no aparelho, a Musik Haus se preocupou em aplicar o conceito nos ringtones, permitindo livre escolha de download pelo usuário.

Os arquivos podem ser armazenados no PC, por meio do link ou na plataforma móvel, pela tecnologia QR Code através do leitor i-nigma (http://www.i-nigma.com/personal/GetReader.asp) ou similar instalado.

Leia mais no Portal da Propaganda.

Confira o site da Musik Haus: www.musikhaus.com.br

Pedro Caldas

YouTube corta áudio dos vídeos de artistas da Warner Music

Por PC World/EUA
Publicada em 15 de janeiro de 2009 às 16h16

O YouTube cortou o áudio de vídeos que têm a participação de artistas do Warner Music Group. Este é um esforço para evitar mais alegações de infração de direitos autorais feitas pela gravadora e outros detentores de direitos.

No mês passado, o YouTube e a Warner encerraram suas conversas após a demanda da gravadora por melhor compensação financeira via acordos de licenciamento e publicidade não se concretizar.

Após esta ocasião, a Warner pediu que todo o seu conteúdo fosse excluído do site. Para cumprir a ordem de forma alternativa, o YouTube iniciou o ‘tratamento silencioso’ dos vídeos.

Com a estratégia, no lugar de ouvir o áudio da música, o usuário é contemplado com a mensagem falada: “Este vídeo possui uma faixa cuja reprodução não foi autorizada por todos os detentores de seus direitos. Por isso o áudio foi desabilitado”.

Ian Paul, editor da PC World, de São Francisco